sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Puré de Bróculos... Vem indignado!

Ultimamente, quando alguém decide que me quer mostrar que o vegetarianismo não é um estilo de vida viável a médio prazo, eu chego a um ponto em que fico tão exausta por defender a minha posição que acabo por dizer "Sim, mais cedo ou mais tarde acabo por voltar a comer peixe", numa tentativa desesperada para que me deixem em paz e sossegada. Mesmo assim, a maioria das pessoas tenta prolongar a conversa com os seus argumentos da treta acerca de como nós somos seres feitos de CARNE (e que por isso, precisamos de comer carne... cadáveres em decomposição).



Isto é complicado.
Complicada não é a alimentação. Complicado é aturar toda a gente à nossa volta a quererem "cuidar" da nossa saúde e a fazerem piadas com a nossa escolha.
Para isto eu tenho um nome: falta de inteligência. Não digo que quem come carne é estupido, nem nunca ninguém me apanhou a dizer que eu é que estou certa e que o resto do mundo está errado. Mas acho estupido quem não consegue ter uma discussão saudável de confronto de dois pontos de vista. Que não consegue assimilar o que lhe é explicado pelo outro, que nem sequer tenta compreender as motivações do outro e que não é capaz de ver além das ideias pré-concebidas que tem cravadas no seu pequeno cérebro, não por ter tentado saber mais acerca delas mas porque é aquilo que ouve dizer pelo senso comum desde criança.

As discussões chegam ao limite do ridículo, a única solução que me resta é dar-me por vencida e acabar a abanar uma bandeirola branca. "Sim, tens razão e eu estou completamente errada. Comer animais mortos cheios de medicamentos é que é bom, e eu vou ficar cheia de doenças por não os comer". E pronto, faço feliz um qualquer imbecil por dar-lhe a ideia de que ganhou a discussão, mas na verdade, quando chego a este ponto com alguém, é porque considero a pessoa um caso perdido e um dos seres que extreminaria se um dia eu viesse a governar o Mundo.

Vai ser duro quando eu decidir ter filhos. Acho que nessa altura emigro e só volto quando os miúdos tiverem uns 10 anos de idade. Aí já ninguém me vai mandar prender por lhes querer dar uma alimentação saudável e cruelty-free.

Vegetarianos: em média vivem mais 10 anos que a restante população, temos muito menos incidência de algumas doenças como a diabetes ou certos tipos de cancro e muitas outras, não sofremos de obesidade, mas mesmo assim, à vista de grande parte da sociedade, somos uns paspalhos que vão todos acabar doentes ou doidos varridos. Os valores desta gente andam todos trocados.

E vou acabar de mostrar a minha indignação, senão ainda vos faço perder o apetite.
Há muito pessoal veggie que consegue abstrair-se completamente das provocações e das consultas de nutrição/psicologia forçadas que toda a gente nos tenta dar. Eu não sei como conseguem! Espero um dia conseguir alcançar esse estado de espiríto...

Esparregado de bróculos, puré de bróculos, papinha de bróculos... Chamem-lhe o que quiserem. É optimo independentemente do nome que lhe queiram dar!


Para umas 4/5 porções, usei:

1 kg de bróculos congelados
3 dentes de alho
200 ml de leite de aveia
Sal & Pimenta
Azeite

Coza os bróculos em água temperada com sal até ficarem bem macios. Escorra-os e esmague-os (pode usar o passe vite, amassar com um garfo... eu usei um esmagador de batatas). 
Coloque um generoso fio de azeite numa frigideira e junte os alhos esmagados. Deixe alourar um pouquinho e adicione à frigideira, os bróculos esmagados.
Junte o leite, pode ser necessária mais ou menos quantidade que a que refiro acima. A ideia é ficar com om puré com uma consistência suave.
Tempere com pimenta e rectifique o sal.

E já está! :)

9 comentários:

  1. Ola Cila,
    Compreendo perfeitamente o sentires que tens de te dar por vencida para por fim a tanto argumento baseado em preconceito e estupidez. Vivo no Canada ha mais de quarenta anos e como vegetariana de longa data tenho tido que combater todos estes anos a falta de compreensao de muita gente,mas la diz o velho ditado : agua fria em pedra dura tanto da ate que fura", por isso nunca desistas de falar no que acreditas .. e continua lutando por uma vida melhor para todos, incluindo os animais!

    ResponderEliminar
  2. Pois, também estou acostumada com essas conversas da treta... Felizmente na minha familia e circulo de amigos já está tudo mentalizado e não entram nesses caminhos, salvo raras excepções em que tentam uma piadola qualquer (e que acabam sem resposta e com uma cara de "já acabaste? Era isso que tinhas para dizer? ah... ok...)
    Força Cila, este é o bom caminho! Infelizmente ainda assusta muita gente mas contra provas não haverá argumentos, temos de ter calma...
    PS: adorei a ideia de puré de broculos!! :)
    Bjnho

    ResponderEliminar
  3. Ora aqui está uma receita que nunca me passou pela cabeça! Deve ser deliciosa, vou experimentar! Grata!

    ResponderEliminar
  4. Acho que te preocupas demais, se querem continuar a comer carcaças de animais em decomposição, completamente saturadas de hormonas e antibióticos, a saúde é deles; quando estiverem a pagar as contas, da clínica e da farmácia, pode ser que se lembrem da sua "inteligência" e profundo conhecimento sobre nutrição. Se não tem inteligência para compreender a aberração que constitui matar um animal, sem necessidade, unicamente para o comer também não se pode esperar que compreendam que outros tem maior discernimento. Quando me tentam abordar com esse tipo de conversa digo simplesmente para ficarem com a deles, que a sua opinião tem tanta interesse para mim, como o facto de poder chover em Tókio.

    ResponderEliminar
  5. Olá Cila! Gosto muito do teu blog e por isso quando me nomearam para o Liebter Award lembrei-me de ti! Podes ver tudo aqui:
    http://saboresexperienciaseaventuras.blogspot.pt/2014/10/liebster-award.html
    beijinho

    ResponderEliminar
  6. Ligar à terra e deixar que se fartem de dizer asneiras é o melhor remédio. O facto de os omnívoros terem maior risco de sofrerem de doenças do foro oncológico, cardíaco, diabetes entre outras é algo que não entra na cabeça de quem faz da ignorância uma religião; deixar que morram mais cedo é uma forma de reduzir o excesso de população. Só é pena que as suas opções alimentares contribuam para o sofrimento de outros seres sencientes e para a degradação do planeta. A acrescer a isto o facto de o dinheiro dos meus impostos estar a ser gasto em serviços médicos perfeitamente evitáveis. Não desanimes fazer o que está correcto constitui de per si uma recompensa que materializa numa vida mais longa e saudável.

    ResponderEliminar
  7. Ligar à terra e deixar que se fartem de dizer asneiras é o melhor remédio. O facto de os omnívoros terem maior risco de sofrerem de doenças do foro oncológico, cardíaco, diabetes entre outras é algo que não entra na cabeça de quem faz da ignorância uma religião; deixar que morram mais cedo é uma forma de reduzir o excesso de população. Só é pena que as suas opções alimentares contribuam para o sofrimento de outros seres sencientes e para a degradação do planeta. A acrescer a isto o facto de o dinheiro dos meus impostos estar a ser gasto em serviços médicos perfeitamente evitáveis. Não desanimes fazer o que está correcto constitui de per si uma recompensa que materializa numa vida mais longa e saudável.

    ResponderEliminar
  8. Adorei o blog.
    Além de ter ótimas sugestões ainda recomendas ótimos blogs.
    Thanks!!

    ResponderEliminar
  9. As pessoas (algumas) ainda são muito pouco informadas e gostam imenso de se meter naquilo que os outros come, vestem etc.
    Sei que o ser humano tem uma grande tendência para julgar o outro, mas há que não compactuar com isso.
    Simplesmente se têm a necessidade de mabdar essas "postas de pescada" é porque não estão bem com a sua conciência. Apenas isso.

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.

© Veggie, com muito gosto!, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena